Geral

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Procuradoria recomenda às Forças Armadas que não vetem transexuais

Nos casos concretos de militares transexuais analisados durante o inquérito, todos foram excluídos do serviço ativo das Forças Armadas após manifestarem o desejo de realizar transição de gênero

COMPARTILHE

 

 

O Ministério Público Federal, através da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, expediu recomendação aos Comandos do Exército, da Marinha e da Aeronáutica para que a transexualidade não seja considerada como motivo determinante para a reforma de militares, nem como forma de incapacidade para o exercício da atividade militar.

 

 


A recomendação leva em consideração "elementos colhidos" durante um inquérito civil instaurado em 2014, que teve como objetivo apurar suposta violação aos direitos humanos no âmbito das Forças Armadas Brasileiras, que estariam reformando sistematicamente militares por causa da condição ou opção sexual, sob o fundamento da incapacidade para o serviço militar.

 

 

 

Nos casos concretos de militares transexuais analisados durante o inquérito - um do Exército, dois da Marinha e um da Aeronáutica -, todos foram excluídos do serviço ativo das Forças Armadas após manifestarem o desejo de realizar transição de gênero.

 

 

 

Para os procuradores da República Ana Padilha e Renato Machado, autores da recomendação, a suposta impossibilidade de manutenção da militar transexual nas Armas ou Quadros Militares exclusivamente masculinos não encontra amparo constitucional ou legal, seja pela possibilidade de transferência de militares entre Corpos e Quadros, seja pelo ingresso de militares mulheres em Armas/Quadros/Funções antes exclusivamente ocupados por homens.

 

 

 

O Ministério Público Federal recomenda ainda que sejam estabelecidos programas de reabilitação ou transferência de militares transexuais em funções compatíveis em outros Corpos ou Quadros das Forças Armadas, caso exerçam originalmente funções que não podem ser ocupadas por mulheres e tenham alterado o gênero masculino para o feminino.

 

 

 

A Procuradoria quer implementação de programas de combate à discriminação, "voltados à erradicação da homofobia e transfobia, de modo a não excluir das Forças Armadas as pessoas transgênero ou homossexuais".

 

 

 

Os respectivos comandantes "deverão, no prazo de 30 dias, informar as providências adotadas, sob pena de impetração da medida judicial cabível em caso de inércia ou descumprimento". Com informações do Estadão Conteúdo.

Fonte: Do NoticiasaoMinuto
VERSÃO IMPRESSA

EDIÇÃO 0153

ERIELTON VENTUROSO

Rolim de Moura - RO

Noticiário Geral

Neri P. Carneiro

Rolim de Moura - RO

Variedades

Acir Gurgacz

Porto Velho - RO

Política

Luiz Paulo - DESTACA

Rolim de Moura - RO

Geral

Fernando Garcia Lima

Rolim de Moura - RO

Folha da Mata

Onça mata homem e restos são encontrados em acampamento. Assista ao vídeo

899 visualizações

Cobra engole galinha e morador grava vídeo do descaso de JACI-PARANÁ

285 visualizações

ROLIM DE MOURA: Camionete F1000 atropela casal em motocicleta deixando marido morto e esposa ferida

199 visualizações

Em 4 dias, Dora se torna a cacolaense mais conhecida de todos os tempos!!!

433 visualizações

CORPO DE HOMEM É ENCONTRADO EM ENCHENTE CENAS FORTES

276 visualizações

TRIBUNA TOP DO POVO - Aqui você é Top!

Todos direitos reservados - Maio/2013 - Rolim de Moura - RO

EXPEDIENTE: Diretor responsável: ERIELTON VENTUROSO PINHEIRO - DRT/RO 1409 - Fone: (69) 8415-5956

Jornalista Responsável: ERIELTON VENTUROSO PINHEIRO - DRT/RO 1409 - Fone: (69) 8415-5956

Arte Finalista e Designer: Criação e tratamento de Artes: Fábio Jaguar - Fone: 8501-9990

Fotógrafos: João Evangelista - Fone: 8408-7908 / José Colde - Fone: 8407-0915

Contato: (69) 3442-6961 / tribunatop@hotmail.com / erieltonventuroso@hotmail.com

WEBMAIL ADM