Justiça

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Acusado de matar uruguaio com 10 tiros em posto de combustível de Ji-Paraná irá a júri popular

Thiago Fernandes foi pronunciado por homicídio qualificado e porte ilegal de arma. Julgamento ainda não tem data definida, segundo a assessoria do TJ.

COMPARTILHE

 

 

Vai júri popular o acusado de matar com 10 tiros o uruguaio Matias Rodrigues Galindez, crime ocorrido em abril deste ano em uma loja de conveniência dentro de um posto de combustível em Ji-Paraná, no interior do Estado.

 

 


Thiago Fernandes, segundo a assessoria do Tribunal de Justiça do Estado, foi pronunciado pelas acusações de homicídio qualificado, por dificultar a defesa da vítima, e porte ilegal de arma de fogo.

 

 


Na decisão proferida na última terça-feira (10), a 1ª Câmara Criminal do TJRO manteve a sentença de pronúncia do juízo de 1º grau, nos termos do voto do relator, desembargador José Jorge Ribeiro da Luz, segundo informou a assessoria do TJRO.

 

 


A defesa do acusado pediu, preliminarmente, a nulidade da sentença de pronúncia sob o argumento de excesso de linguagem e cerceamento de defesa e pediu a absolvição sumária do acusado. Contudo, o relator rejeitou as duas preliminares em defesa do acusado.

 

 


O relator justificou que é impossível acatar o pedido de impronúncia, uma vez que as provas colhidas na instrução criminal (inquérito policial, laudo, depoimentos, entre outros) apontam indícios de autoria contra Thiago Fernandes, existindo indícios suficientes de autoria e participação do réu no crime.

 

 


Com relação ao cerceamento da defesa alegada, o TJRO explica que não se trata de provas do crime de homicídio, mas de indisciplina do réu dentro do presídio em que se encontra. Ele é acusado de incitar outros presos para realizar motim dentro do cárcere.

 

 


A defesa pediu ainda que o réu responda apenas por um tipo de crime, mas o pedido foi negado. O acusado responderá pelos crimes de homicídio e porte ilegal de arma perante o tribunal do Júri porque não ficou demonstrado que a arma adquirida foi utilizada com a finalidade de matar a vítima.

 

 


No caso, consta que o réu comprou a arma dois meses antes do homicídio e portava ela ilegalmente. Diante disso, constatou-se que os crimes de homicídio e de porte de arma são independentes. A data para o julgamento ainda não foi definida.
 

Fonte: Por Toni Francis, G1 RO

ERIELTON VENTUROSO

Rolim de Moura - RO

Noticiário Geral

Neri P. Carneiro

Rolim de Moura - RO

Variedades

Acir Gurgacz

Porto Velho - RO

Política

Luiz Paulo - DESTACA

Rolim de Moura - RO

Geral

Fernando Garcia Lima

Rolim de Moura - RO

Folha da Mata

Menina motivou fila para doação de medula e fará transplante com pai 50% compatível

49 visualizações

POLÍCIA É CHAMADA PORQUE MULHER NÃO LARGAVA O PÉ DO MARIDO. VEJA O VÍDEO!

603 visualizações

Tata Bonela - Saudade do meu ex - Marília Mendonça Cover

46 visualizações

Homem flagra traição da esposa e vídeo viraliza

696 visualizações

Professora mandava ‘nudes’ e exigia sexo para aumentar notas de alunos - VÍDEO

3112 visualizações

TRIBUNA TOP DO POVO - Aqui você é Top!

Todos direitos reservados - Maio/2013 - Rolim de Moura - RO

EXPEDIENTE: Diretor responsável: ERIELTON VENTUROSO PINHEIRO - DRT/RO 1409 - Fone: (69) 8415-5956

Jornalista Responsável: ERIELTON VENTUROSO PINHEIRO - DRT/RO 1409 - Fone: (69) 8415-5956

Arte Finalista e Designer: Criação e tratamento de Artes: Fábio Jaguar - Fone: 8501-9990

Fotógrafos: João Evangelista - Fone: 8408-7908 / José Colde - Fone: 8407-0915

Contato: (69) 3442-6961 / tribunatop@hotmail.com / erieltonventuroso@hotmail.com

WEBMAIL ADM